top of page
  • daniportoarte

Uma conversa sobre talento

Atualizado: 2 de set. de 2023


Para algumas pessoas ter talento é imprescindível para a produção artística, para outras, esse "negócio de talento não existe". Mas afinal, qual o papel do talento nas artes plásticas?



Já faz um bom tempo que quero falar sobre esse assunto: o talento na arte. Tenho algumas ideias que gostaria de compartilhar com você.


Acho que quando pensamos em talento na arte pairam muitas dúvidas no ar, tais como:


"Talento é dom? "


"Será que precisa ter talento para ser artista?"


"Eu quero ser artista, mas acho que não tenho talento pra isso!"


"Acho que até tenho talento, mas não o suficiente!"


"Existe esse negócio de talento? E se eu não tiver talento?"


"Bom, essas são apenas algumas perguntas que passam pelas nossas cabecinhas criativas quando pensamos em talento nas artes plásticas".


Esse negócio de talento existe?


Acho que a gente pode começar falando sobre alguns equívocos recorrentes que acontecem quando falamos sobre esse assunto.


Eu sigo vários artistas e ilustradores nas redes sociais, e já vi vários deles fazendo vídeos e postando conteúdo sobre esse assunto. Percebo que há uma ideia que parece ser unânime entre eles: a de que o talento não existe, o que conta mesmo é o esforço que você faz para se desenvolver.


Em um dos vídeos que assisti a ilustradora falou com todas as letras “Esse negócio de talento não existe...”

Confesso que fiquei um pouco chocada. Pensei “Como assim esse negócio de talento não existe? Como pode não existir? Então quer dizer que Rafael, Michelangelo, Rembrandt, Van Gogh não tinham talento? Como assim?”


A frase dita pela ilustradora ficou martelando na minha cabeça por dias e me incomodou bastante. Primeiro porque eu não concordo que “esse negócio de talento não existe”, segundo porque acredito que essa artista disse a frase dentro de um contexto, por isso eu deveria manter o contexto para compreender melhor o que ela quis dizer.


Depois de muito “ruminar” acho que entendi o que ela de fato quis dizer. Não é que “esse negócio de talento não existe”, existe sim, e é claro que influencia a produção de qualquer artista. Acho que o que ela quis dizer é que o que determina se você será bem sucedido na sua arte não está ligado a quantidade de talento que você tem, mas como você trabalhou o seu talento para poder executar a sua arte.


Repetindo:


Não é o seu talento que determina se você será bem sucedido na sua arte, mas como você usa o talento que tem, pois ele é apenas uma ferramenta que você possui. É como um machado que precisa ser afiado para cortar melhor.


Mas por que algumas pessoas do meio artístico acham que esse negócio de talento não existe?


Acredito que existe uma ideia, uma crença, um senso comum de que se você tem talento para a arte, logo não precisará fazer esforço para desenvolvê-la. Tudo fluirá naturalmente e sem problemas, não haverá dor no processo.


Eu sei, parece absurdo...e é! Mas tem muita gente acreditando nisso. Já vi jornalista renomado escrever um editorial sobre Leonardo da Vinci dizendo com todas as letras que “o gênio artista não precisava se esforçar para fazer sua arte, pois tinha talento”.


Essa ideia errada atrapalha a vida de muita gente, fazendo com que algumas pessoas terceirizem a responsabilidade do seu fracasso na “falta de talento”. Muito triste!


Mas afinal, o que é talento?


Eu acredito na existência do talento na vida de qualquer pessoa, não apenas dos artistas plásticos. Todos nós nascemos com potenciais habilidades que podemos desenvolver e lapidar, mas isso exige esforço, empenho da nossa parte.


Acho que primeiro precisamos esclarecer o que é talento. O talento é uma habilidade, um gosto natural que pode ser desenvolvido. É uma definição bem diferente da palavra dom, que vem do latim donu e significa dádiva, presente. Agora já sabemos que dom e talento são coisas diferentes, embora possam aparecer como sinônimos no dicionário.


Também é importante dizer que talento não se refere apenas à prática das artes. É claro que existe o talento artístico – desenhar, pintar, cantar, etc.- mas podemos perceber uma grande variedade de talentos nas mais diversas áreas: talento esportivo, escrita, saber lidar com pessoas, capacidade de planejamento, ouvir pessoas e por aí vai.


Se o talento é uma habilidade, como fazer para desenvolvê-lo?


A primeira coisa a fazer é se colocar em movimento, faça seu talento entrar em ação. Comece a desenhar, pintar e não espere amanhã para iniciar, gire a roda do seu talento hoje mesmo.


Eu sei, não é fácil. Bate aquela insegurança de não gostar dos desenhos que você produziu, sem falar do medo e a frustração. Mas não fique parado, entre em movimento e as coisas vão começar a acontecer. Lembre-se: Se fosse fácil, todo mundo fazia!


Para desenvolver o seu talento você primeiro precisa praticar muito, segundo, ter disciplina e em terceiro lugar ter muita perseverança na busca pelos resultados, pois não há vitória sem luta, já dizia o meu velho pai.

Mas você pode estar pensando: “E se eu não tiver talento para a arte ou não tiver o suficiente?” ou pior “Eu não tenho talento algum!”


Então deixa eu te dizer uma coisa, o fato do talento ser uma habilidade que pode ser desenvolvida é uma ótima notícia. Mesmo que você acredite que não tem muito talento, você pode fazê-lo aumentar, crescer e desenvolvê-lo até o nível desejado.


Quanto a achar que não possui talento lembre-se: o simples fato de você se sentir inclinado à arte, ter esse gosto natural e sentir conexão com ela mostra que você tem sim talento para desenvolver artisticamente, afinal, a arte faz parte de você, tudo que precisa fazer é trilhar o seu caminho para encontrar o seu lugar.


Como descobrir seu talento?


Essa é a pergunta de 1 milhão de dólares!


Se você ainda não sabe qual é o seu talento, ou está tendo dificuldades para descobri-lo, aqui vão algumas dicas:


Existe alguma coisa que você faça com certa facilidade e que outras pessoas elogiem? Às vezes os outros conseguem perceber nossas habilidades melhor que nós mesmos. Talvez para você seja tão natural e espontâneo fazer determinada atividade, que você pensa que é assim para todo mundo, mas na verdade é o seu talento fluindo!



Quais são os seus interesses? Se você comprar um livro ou assistir um vídeo por prazer, qual é o assunto que te atrai?


Quando fiz essa pergunta a mim mesma, percebi que a maior parte dos livros que comprei com satisfação foram sobre arte, assim como minhas inscrições no Youtube são de canais de artistas e ilustradores.



O que você faz que te coloca em flow, ou seja, o que você faz e não vê o tempo passar? O flow ou Fluxo é um estado mental no qual a pessoa fica totalmente imersa no que está fazendo, tendo um sentimento de absoluto envolvimento e sucesso na tarefa.


Não quer dizer que seu desenho ou pintura terão excelência técnica e você não terá problemas na execução, mas quer dizer que ao fazer essas tarefas você se sente fluindo nelas.



E quando o talento é demais?


Ironicamente o talento pode ser uma armadilha na vida de muita gente.

Como assim?


Já conheci pessoas que não valorizavam o talento que tinham. A pessoa era extremamente talentosa e por isso era muito fácil para ela exercer o seu talento. Percebi que para ela era tão fácil fazer o que fazia que ela pensava que era assim para todo mundo, logo não dava valor, afinal “isso todo mundo sabe fazer!”


Só que não, né?!!!


Outra situação é a dos super talentosos. Algumas pessoas nascem com muito, muito talento mesmo e isso as deixa preguiçosas.


Quando alguém é muito talentoso, é natural que o talento leve a pessoa até um determinado nível sem que ela precise fazer muito esforço e é aí que está a grande armadilha.


A criatura fica preguiçosa e não quer estudar, não se esforça, não quer passar pelo processo de desenvolvimento se esquecendo que depois de um determinado ponto ou você se esforça e estuda para evoluir, ou acaba ficando estagnado no caminho.


Então cuidado, mesmo que você tenha muito talento, se não se esforçar para evoluir se tornará medíocre.



Para finalizar


Lembre-se: O seu talento nada mais é do que uma ferramenta para você conseguir desenvolver a sua arte, mas é seu, por isso trate-o com carinho e seja gentil com você mesmo.


Você se lembra do machado? Então afie seu machado com cuidado, leve o tempo que for preciso para deixar seu talento tinindo e depois de tudo, mostre ao mundo toda a sua arte.



Grande abraço


Dani Porto




20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page